Vai viajar sozinho? Dicas importantes

Está pensando em viajar, mas não tem ninguém para te acompanhar? Isso, na
verdade, não é um problema, e pode inclusive agregar para você ter uma experiência única.
A prática de viajar sozinho, seja em mochilões, seja em expedições solitárias de
autoconhecimento, é algo cada vez mais difundido na cultura nacional e internacional, e
temos diversos exemplos de viajores solitudos, especialmente na literatura norte-americana,
como no caso dos livros On The Road e Into The Wild. Contudo, antes de viajar, dê uma
olhada nessas 10 dicas, que são muito importantes e podem fazer toda a diferença para
você ter uma experiência boa e segura durante a viagem.

1 – Abandone a zona de conforto

Isso pode ser uma das coisas mais difíceis para uma pessoa viajando sozinho, mas
pode agregar bastante para o seu crescimento pessoal e espiritual. Fazer uma viagem
sozinho é uma tremenda de uma oportunidade para exercer a sua liberdade ao extremo,
fazer tudo o que você quiser no seu ritmo. Não precisa se forçar a fazer as coisas fora do
seu tempo, mas também não se permita recair na zona de conforto. Viva se desafiando
para tornar a sua experiência ainda mais agregadora para o seu crescimento enquanto
pessoa.

2 – Couchsurfing

Nem todos os perfis se encaixam no perfil do “couchsurf” (“surfe de sofás”, em
tradução livre), mas essa é uma ótima alternativa para você economizar com hospedagem
e, de quebra, conhecer moradores locais. Ao contrário do que parece, a prática é cada vez
mais difundida e segura, graças a uma série de mecanismos de segurança dos aplicativos
que permitem essa troca. Não deixe de experimentar pelo menos uma vez, para ver se se
encaixe no seu perfil de viajante. Caso não se encaixe, não tem problema. Mas pelo menos
você tentou e saiu da zona de conforto, não é mesmo?

3 – Arranhe a língua local

Se for ficar um período de tempo mais considerável em uma localidade, é
interessante saber um pouco da língua local para aprender a se comunicar. Não é
necessário dominar o idioma já de cara, mas é extremamente interessante você memorizar

as principais palavras e fórmulas comunicacionais, para conseguir se expressar e entender
o que os locais têm a te dizer, numa conversa casual ou apenas para pedir informação. Não
custa nada aprender a dizer coisas como “obrigado”, “por favor”, “sim e não”, o nome do seu
país e outras frases e ditos comuns do idioma, para você se fazer entender da melhor forma
possível enquanto estiver viajando.

4 – Interaja com o povo e a cultura locais

Uma das coisas mais gostosas de se conhecer um local novo é interagir com o povo
e viver uma cultura diferente da sua. Não deixe de experimentar esse lado humano dos
locais que visitar. Se você tem um contato no local, mesmo que seja conhecido de um
conhecido, já é um ótimo progresso. É sempre bom ter contatos locais para te mostrar a
cidade, com os segredos que esconde. Desse modo, você acaba tendo uma experiência
mais legal, conhecendo um lado do lugar que as multidões de turistas geralmente não
veem.
Outra forma de viver a cultura local intensamente é através da culinária. Aprender
um pouco sobre a gastronomia local, frequentando desde barracas de rua até mercados
tradicionais, em suma, seguindo as indicações e os costumes dos locais, pode agregar
muito para a sua experiência. É legal receber as sugestões dos nativos e observar os
lugares em que eles mais comem, para ter uma ideia da rotina e dos costumes
gastronômicos do povo local.

5 – Cuide de seus pertences

Essa é uma das dicas mais importantes do texto. Na hora de fazer a sua mala, em
primeiro lugar, é preciso não exagerar muito na quantidade de coisas que você vai levar.
Leve apenas o necessário e o imprescindível, aquilo sem o que você não vai conseguir
viajar. Desse modo você evita malas muito pesadas e grandes, que podem atrapalhar a sua
experiência. Por outro lado, você também tem menos chance de perder os seus pertences,
já que serão em menor quantidade e mais fácil de cuidar. Essa dica vale especialmente
para documentos, passagens e dinheiro: cuide muito bem desses pertences, já que
representam a volta para o seu país de origem!

6 – Preze pela segurança

Lembre-se: a segurança vem sempre em primeiro lugar! Não tome risco
desnecessários à sua vida. Sempre que chegar ou sair de um lugar, faça contato com

familiares, amigos ou conhecidos, para que todos recebam a informação do seu paradeiro e
do seu itinerário. Isso pode fazer a diferença se acontecer alguma emergência. Caso vá
praticar algum esporte radical, como escalar montanhas ou andar de caiaque no meio do
mar, não deixe de informar alguém no seu local de hospedagem.

7 – Por que não um seguro?

Levar a última dica ao seu nível extremo pode não ser tão caro assim. Na realidade,
é um investimento para a sua paz de espírito. Se você viaja com seguro, você está
garantido contra os vários imprevistos que pode acontecer e estragar a sua viagem. Desse
jeito, você até curte mais. Nunca se sabe, por exemplo, quando uma empresa aérea irá falir
ou quando você virá a sofrer uma emergência médica no estrangeiro. Nestes casos, é
sempre melhor estar segurado.

8 – Tenha sempre algo para ler

Boa parte das viagens em geral costuma ser passada em meios de transporte, seja
trens, metrôs, ônibus, aviões etc. Nessas ocasiões, é sempre bom ter algo para ler, tanto
para relaxar quanto para passar o tempo. Além disso, outras inúmeras ocasiões surgirão
para você aproveitar para pôr sua leitura em dia, como uma tarde na praia ou na estrada.
Para economizar espaço na sua mala, que tal investir em um leitor digital?

9 – Respeito é pra quem tem

Por fim, talvez a dica de ouro deste texto é manter sempre o respeito, não importa
aonde você vá. Sempre busque entender a cultura local, e aceite os sinais verdes e
vermelhos para a sua conduta. É claro que não é esperado que os estrangeiros saibam
tudo da cultura local, mas é sempre bom ter um pouco de informação, para evitar gafes e
maiores constrangimentos com o povo local.