Não sabe inglês? Veja como viajar sem passar aperto

Uma das coisas que mais atraem as pessoas em quesito de sonhos e metas são,
sem dúvida, viagens. Contudo, algo que muitas pessoas não sabem é justamente o inglês,
uma das línguas mais faladas do mundo e, sem dúvida, a língua mais “globalizada” do
nosso mundo atual, no sentido de que é a língua mais comercial e turística. Falando inglês,
é possível conhecer boa parte do mundo e conseguir se virar relativamente bem.
Mas não se preocupe caso você não fale inglês. Não é necessariamente um
impeditivo para você viajar e conhecer outros cantos do planeta. Neste texto, iremos
mostrar como esse mito não é verdade (“Preciso falar inglês para viajar para o estrangeiro”),
mostrando diversas formas de você viajar sem falar inglês e, ao mesmo tempo, sem passar
aperto.
Não deixe que esse mito te impeça de viajar pelo mundo. Muitos são os casos de
pessoas que viajam sem nem arranhar o idioma e voltam com relatos incríveis para contar.
Com certeza, você vai se surpreender com outras culturas e pessoas de outros povos, e
como na maioria dos casos as pessoas estão dispostas a ajudar uma pessoa que não fala o
idioma, através de mímica ou livros de ajuda na língua. Realmente, muitas vezes você
acaba encontrando outras formas de se conectar e se comunicar com pessoas de outras
nacionalidades, afinal, somos todos seres humanos! Não subestime a sua capacidade e a
capacidade dos outros de encontrar formas de entendimento mútuo.
Contudo, não deixe de seguir algumas dicas para facilitar a sua experiência.
Conhecimento e informação serão os seus principais aliados nas viagens. Portanto, sem
mais delongas, seguem agora 6 dicas que podem facilitar a sua vida no estrangeiro, mesmo
sem saber uma sílaba de inglês.

 

1 – Comece pelos lugares mais fáceis

Anúncios

Se você não fala inglês, não queira já de cara conhecer países que têm esse idioma
como nativo, a exemplo dos Estados Unidos e do Reino Unido. Antes, comece pelos
lugares mais fáceis e próximos de sua localidade. Priorize não só locais geograficamente
pertos de onde você mora, mas também lugares em que você terá mais facilidade em
entender e ser entendido. Um bom exemplo é optar por países com uma língua latina, isto
é, com a raiz comum no latim como o português. Que tal conhecer Argentina ou algum país
da América Latina, que fala o espanhol? É mais fácil do que parece se comunicar com um
portunhol de fronteira. Ou então, se está interessado em conhecer a Europa, o destino mais

simples seria Portugal, por óbvio; mas também sem prejuízo de outros destinos com línguas
latinas, como a Espanha e a Itália.
Por outro lado, muitas regiões em países com o inglês como língua oficial falam, em
verdade, muito mais o espanhol do que parece. É o caso da Flórida, nos Estados Unidos,
que conta com uma das maiores populações latinas do país. Ademais, em lugares com o
castelhano como língua oficial, a exemplo do Caribe (Cancún, República Dominicana, Cuba,
Aruba, Curaçao e muitos outros). Nestes lugares, a barreira linguística é muito mais simples
de ser quebrada e atravessada com sucesso, graças à proximidade das duas línguas
(português e espanhol) e sua maravilhosa fusão: o portunhol.

 

2 – Todo mundo paga mico

Outra coisa que é importante ter em mente e que certamente te ajudará muito na
sua aventura é o desprendimento e certa cara-de-pau mesmo. Lembre-se: não é como se
só você pagasse micos nesse mundo. Em verdade, pagar alguns micos é um processo não
só necessário para o aprendizado, mas também para o seu crescimento pessoal e até
mesmo espiritual. Não deixe a vergonha te impedir de conhecer partes do mundo que você
sempre quis conhecer.
Afora isso, os micos também podem integrar uma parte maravilhosa da sua
experiência de viagem como um todo. Se você tiver bom humor e não se levar muito a
sério, eles podem fazer toda a diferença na hora que você for relatar as suas experiências
para os seus amigos e família!

Anúncios

 

3 – Faça uso de postos de informação e agências de turismo

Ao escolher o destino da sua viagem, priorize os países que costumam receber mais
turistas e visitantes e que, por conta disso, tenham uma infraestrutura mais adequada para
a sua recepção e orientação. É pra isso que existem postos de informação e agências de
turismo. Esses locais contêm profissionais acostumados com turistas que não têm
experiência no idioma local, e que possuem um treinamento adequado para essas
situações. Não tenha medo ou vergonha de usar e abusar destes serviços, que foram feitos
justamente para ajudar pessoas como você a se acharem no país que você não conhece.

4 – Estude o máximo que você puder sobre o destino antes de viajar

Essa é uma das dicas mais importantes deste texto. Como mencionamos, a
informação é tudo na hora de viajar, e ela pode te ajudar muito para você não se perder.

Antes de viajar para o destino desejado, procure se informar o máximo que você puder
sobre o local, sua geografia, os costumes locais, a história etc. Isso certamente irá
direcionar o seu passeio e contribuir para que você não perca tempo com o que te
interessa.
Ademais, hoje em dia, com ferramentas como Google Maps à disposição, isso ficou
ainda mais fácil, já que você pode usar o serviço de Street View para se orientar nas ruas
das cidades no estrangeiro. Outro aspecto importante é ter em mãos um livro de bolso com
frases prontas no idioma local, com tradução para o seu idioma. Dessa forma, vai ficar
muito mais fácil você se comunicar com os locais caso precise de alguma ajuda ou
informação.

 

5 – Em último caso, arranje um guia

Se você for uma pessoa mais ansiosa e nenhuma das outras dicas te assegurar o
suficiente, então não há outra saída: arranje um guia! Na verdade, essa pode ser uma ótima
opção, para fazer da sua viagem algo mais tranquilo e confortável. A única parte ruim é que
esses serviços costumam ser bem caros, e pode ser que você não consiga bancar um guia
turístico que fale o seu idioma.